poeta Nunes

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Poesia Esotérica

Poesia Esotérica

Poesia Esotérica

REMENDOS

"Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, pois o remendo forçará a roupa, tornando pior o rasgo. Nem se põe vinho novo em vasilhas de couro velhas; se o fizer, as vasilhas se rebentarão, o vinho se derramará e as vasilhas se estragarão. Pelo contrário, põe-se vinho novo em vasilhas de couro novas; e ambos se conservam".  Mateus 9:16-17

Resultado de imagem para remendos em calças velhas

Remendos

Remendo novo em pano velho,
Remendo velho em pano novo,
Assim tem sido a vida...
Quando não é remendo
É improviso...

Os remendos no asfalto da minha rua,
Os remendos na parede do meu quarto,
As medidas instantâneas,
Os planos do governo,
Remendos na constituição,
Os investimentos paliativos,
Os curativos nas feridas,
A justiça da democracia sexual
São remendos em pano velho.

A vida tem sido remendos,
O amor tem sido remendos,
Na profissão, mais remendos...
Mais remendos nas amizades.

São necessárias outras estruturas políticas,
Filosóficas, religiosas e sociais,
Porque essa não aguenta mais remendos.

Minha calça e minha camisa de trabalho
Também não aguenta mais um buraco novo,
Mais um remendo...
.
 Salomão Alcantra
J.Nunez


Poesia Esotérica

Visão holística do mundo e da espiritualidade


Resultado de imagem para anjos da beleza e do amor


Essa Casa Acolhe Anjos

Não esqueçais a hospitalidade;
alguns as praticaram, tendo a sorte de,
sem o saberem acolher anjos.
(Hebreus 13 v 1)

Na casa em que os móveis
Cheiram perfume de lavanda,
O ar é perfumado de incenso de cânfora,
Entoam um mantra que invoca a pureza
E a música clássica ecoa,
Essa casa acolhe anjos.

Na casa em que os raios de sol
Matutino invade, se ouve
Os sussurros de amor, dois corpos
Se enroscam em um arrebatamento carnal,
Num êxtase de alma,
Essa casa acolhe anjos.

Nas casas em que corre a energia telúrica
E a hospitalidade e o amor são praticados,
Essa casa acolhe anjos.

Na casa em que une a potência do homem
E a entrega da esposa,  essa casa acolhe anjos.

Na casa em que os elementais brincam no jardim,
Um deus fálico e uma deusa de seios fartos
São compreendidos e a palavra é o verbo sagrado,
Essa casa acolhe anjos.

Na casa em que em que impera o silêncio
Sobre as coisas, o pó não assenta
E os sorrisos e as palavras são sinceras,
Essa casa  acolhe anjos.

Nas casas em que se adora o Cristo,
Compreendem a sabedoria de Buda,
O conhecimentos de Maomé,
O Pentagrama protege as entradas
E São Francisco está nas imagens e nas orações,
Essa casa acolhe anjos.

Jonas Corrêa Martins

J.Nunez

Poesias Esotéricas

Poesias Esotéricas

Poesia Esotérica

Tempos e dimensões

Tempos que passam paralelos
E às vezes se engolem e se vomitam.
Dimensões dentro de dimensões,
Tempos dentro de tempos...
E eternidade que engole tudo...

Eu corro pela estrada infinita e abstrata
E a velocidade me coloca dentro de outra dimensão...
Onde eu alço o vôo
Nas correntes cósmicas desse universo...
E procuro pelo mestre e pelo templo da sabedoria...
Retorno ao corpo na terceira dimensão que engole...
Caos engole caos e assim pensamos que estamos vivos...

Jonas Correa Martins
J.Nunez

Publicações

Marcadores