poeta Nunes

domingo, 5 de maio de 2013

Os nascimentos no espirito


O Novo Homem

Tenho dores de nascimento
De um novo homem,
Tenho dores sinceras,
Tenho um nó de lágrima
De tristeza entalada na garganta,
Tenho um adeus ao homem velho...
Que há muito tempo ensaio.

Tenho me dado ao luxo
Da displicência  na vida e da sutileza  com os amigos...
Meu coração dolorido, agora,
 Me diz que ao novo homem
 Não é permitido displicência na vida,
E que o mundo não merece minha displicência e sutileza.
Que seja assim!
 Que seja a vontade do novo homem.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez


Poesia Esotérica Imparcialista


Assombrar-se

Eu esperava do mundo perplexidade e assombro
Diante da bestialidade de nosso tempo;
Não espero mais nada, e me calo...
Em um mundo incapaz de assombro
Não posso esperar mais nada.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez

Publicações

Marcadores