poeta Nunes

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Poesia esotérica




Mística

Compreendi o mundo,
Compreendi meu tempo...
Me compreendi um pouco.
Para tanto, afundei nos infernos interiores,
Fui muitos nas dimensões mentais,
Fui muitos na vida prática,
Perdi a mística,
Cai na pragmática.

Misteriosa!
Agora que estou mais preparado;
Deixo todos que fui,
Sou um miserável aos seus pés.
Te peço que me devolva à mística...
Porque somente com a devoção
Sou digno de tua presença e do teu amor.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez

Morte Interior

A Manifestação da Alma

Em meu coração tem sempre
Uma despedida de mim mesmo,
Tem sempre alguma coisa morrendo...

Agora, Adeus ao que fui,
O que tenho sido,
Ao que eu pretendia ser...

Quero apenas existir,
Sentir que existo com tanta intensidade
Que me faça passar a fronteira da personalidade.

Uma maldade aponta e manifesta fora do que sou de costume,
Uma virtude escapa e manifesta fora do que sou normalmente.

Estou morto como alguém que esquece quem foi...
Não me esqueci, apenas entendi
Que devo morrer,
Com todos esses que fui,
Esses que eu vinha criando para um dia ser.
Quero à manifestação da alma!

Murilo Santiago
J.Nunez




Publicações

Marcadores