poeta Nunes

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

GNOSE

As luzes deixaram de acender,
O sol ocultou a sua luz,
Os raios não passaram pela fenda na parede,
A vela apagada não tem a sua luz que oscila ao vento,
Tudo foi tristeza e escuridão,
Energia negativa,
Sentimento de eremita,
Doença, cansado, desanimado e triste.

Foi essa a minha religião,
Que diferente do que esperava,
Me levou para longe de Deus
E me deu um Cristo morto e pregado na Cruz.
Esse Cristo morto não me serve,
Quero um Cristo mais luminoso que muitos sois.

Uma espirito triste e fraco, desmotivado e amargo
Não me serve, quero uma alma com o brilho de muitos sois,
Quero uma alma que transcende infernos e céus.

Estou de volta a luz,
Abri as janelas,
Li as páginas de um livro para espíritos que buscam a Deus
E andam felizes por encontrá-lo majestoso, consciente e vivo.
Um ensinamento desperto,vivo
 Igual a gnose.


J.Nunes

Publicações

Marcadores