O estômago do deus do tempo.



A história está na linha do tempo,
A vida está em linha reta,
Tudo é contado em uma linha cronológica,
Feito fitas de uma rabíola de pipa,
Mas Saturno, o senhor do tempo,
Devora todas as coisas
Sejam elas concretas ou abstratas,
Tudo é engolido e misturado
Em seu estômago infinito.

Em outros planos á queda de
Futuros impérios e governos,
E ainda existe Rei conquistadores
De uma civilização antiga,
Ainda ouso a minha voz
Chamando por uma mãe
Em um passado muito distante,
E tudo que o profeta viu,
Quando a tela celeste se abriu,
E ainda não se materializou nesse plano.

Nunes




Comentários