poeta Nunes

terça-feira, 30 de abril de 2019

Uma Criatura Vampiresca

Caminhou entre depravados sexuais,
E toda forma de homem decadente.
Era um criatura de aspecto vampiresco,
Que não pode aparecer no espelho,
Sua imagem refletida são as três faces demoníacas,
Feito o cão cérbero.

O mestre de rosto asiático,
Foi quem lhe deu o espelho,
Os membros daquela casa
Não pode conter o assombro,
Diante das três faces do diabo
Refletida no espelho.

Ninguém viu para aonde foi o mestre asiático,
Que disse que era horrenda
A criatura que se achava bela e pura.

A criatura declarou morte a si mesmo,
Morte aos diabos em si mesmo,
E disse gloria e viva ao Deus todo Poderoso!
Declarou morte ao demônio
Igual a  Belzebu saído do inferno.

José Nunes Pereira  

Publicações

Marcadores