poeta Nunes

sábado, 29 de junho de 2019

Por que veio tão tarde....


Flores no Deserto

Por que veio tão tarde...

Por que veio tão tarde
A ponto de eu não poder esperar;
Por que veio tão bela
A ponto de ser sublime;
Por que veio tão pura
A ponto de ser intocável;
Por que veio tão rara
A ponto de ser cobiçada;
Por que vive tão longe
A ponto de ser celeste;
Por que está tão perto
A ponto de queimar meu peito;
Por que veio tão luminosa e clara 
A ponto de me fazer cego;
Por que  veio tão amorosa
A ponto de me engolir;
Por que veio tão doce
A ponto de me afogar,
Por que veio tão meiga
A ponto de me embriagar;
Por que brilha tanto,
A ponto de ser estrela;
Por que veio tão sublime
A ponto de ser pecado te querer;
Por que veio tão nobre
A ponto de eu não te merecer;
Por que veio tão viva e alegre
A ponto de por brilho nos meus olhos;
Por que me abraçou com tanto amor
A ponto de me dissipar dentro de ti,
Por que me deu o céu
Para depois me aprisionar no inferno;
Por que me ressuscitou
Para depois me matar piedosamente;
Por que me deu esse sorriso e esse olhar
Para depois ser miragem...
Por que veio...
Por que me trouxe um suspiro de vida
Quando eu já estava  morto.

José Nunes Pereira 

sexta-feira, 28 de junho de 2019

Ilícito

Resultado de imagem para ruelas escuras

ILÍCITO

Não precisava vir mais,
Chegou muito tarde...
Me deixou esperando a juventude inteira,
Veio quando eu já tinha me conformado
Com essas ruas e essa gente perdida 
Em drogas e toda forma de promiscuidade...
Veio proibido como coisa ilícita.

O amor chegou prometendo o paraíso perdido,
O sentimento romântico, belo e nobre.
Veio quando eu devia suportar
Todo o peso da vida em meus ombros.
Veio só para mostrar à felicidade perdida,
Veio exibir a beleza do amor verdadeiro.

Veio tão real, mas impalpável feito miragem.
Essa tristeza,  e a dor causada 
Por um amor inatingível
Me faz afundar ainda mais
Nesse viela de gente devassa, 
De viciados e perdidos nos infernos da mente.

Veio prometer o que eu não posso aceitar,
Quanto mais o amor machuca
Mais eu me afundo essas ruelas.
Eu espero que esse amor
Me mostre à saída,
Me abra uma porta para que eu possa
Resgatar-me desses bares 
E lugares de gente depravada, suja
E escravizada pelos desejos.

José Nunes Pereira 

terça-feira, 25 de junho de 2019

Vai ficando pelo caminho


Resultado de imagem para caminhos na montanha

Vai ficando pelo caminho

Vai ficando pelo caminho
Bons amigos,
Amor perdido,
Palavras ditas,
Festas e outros momentos felizes...,
Partes do que fui,
Um pouco do que sou,
Lembranças que não deixarão saudades,
Não é porque são coisas ruins,
É que minha minha alma
Só reconhece o amor desapegado e livre.

Vai ficando pelo caminho
Paisagens dos dias de outono,
Flores do inverno,
Rastros de minha vida
E o pouco que eu fiz de bom.
Pelo que fiz de mal
Eu peço perdão.

Sejamos amigos,
Uma fraternidade de almas,
Porque o meu espírito absorve o universo,

Eu ando por essa estrada
Feito um animal esquartejado
Que vai deixando seus pedaços por onde passa,
Cambaleando até cair morto.

Escolhi ir morrendo aos poucos,
Ir deixando tudo aos poucos,
Ir negando a mim mesmo aos pouco,
Ir morrendo em vida.
Quando eu ficar face a face com a morte,
Já estarei tão morte e tão livre...
Que a morte não poderá me tomar nada!
Poderá somente me dar o que desejo:
A morte no corpo velho e inválido.

Essa é minha vingança
contra essa ceifadora indiferente.

José Nunes Pereira 

segunda-feira, 24 de junho de 2019

O Arcanjo Caído

Imagem relacionada


O Arcanjo Caído

Num tempo que transcende
A cronologia dos homens
Um arcanjo caído
Pelo pecado...
Pagou o alto preço
Por um amor sujeito ao tempo
E as efemeridades da vida.

O arcanjo subiu com supremo sacrifício
As escadas celestiais,
Foi resgatado aos céus
E redimido de seus pecados
De amor proibido a um arcanjo...

Como pode um arcanjo
Perder a eternidade
Por um amor humano,
Por uma mulher
Que tudo que tem a oferecer
É o amor subjugado ao tempo
E as infelicidades da vida.

Talvez fosse ele um arcanjo
Cansado de eternidade,
Talvez fosse ele um arcanjo
Cego de amor...
Na solidão de ser divino
E deixado entre os homens,
E por muito tempo longe da gloria de Deus.

José Nunes Pereira  

Publicações

Marcadores