poeta Nunes

domingo, 24 de novembro de 2019

Dois Lados


Olho o lado bom da morte.

Se fosse apenas dualidade
Era fácil de compreender,
O problema são os dois lado de um mesmo lado,
A dualidade da dualidade.

O mal tem o seu lado bom e mal,
Esse bem dentro do mal 
Que é fazer o bem  para os maus.

A realidade, do modo como foi pensada,
Deixou de existir dentro dessa dualidade
No interior de cada conceito 
Que faz dualidade com outro conceito
E dentro de si mesmo,
Nesse infinito dentro do dentro 
E dos dois lados de um mesmo conceito. 

O que é a verdade nessa massa atômica fermentado...
Dentro da unidade está a verdade
Mas a verdade é tão imensa que meus olhos não abarcam,
Apenas sinto como uma viagem sem corpo
Dentro dessa massa infinita e atômica,
Dentro desse universo em cada partícula de cada coisa...

A realidade não é o todo, 
E a partícula também não é a realidade.
A realidade é a unidade impossível de ser inteiramente olhada. 

A realidade é o todo que não cai no relativismo 
Que diz que é tudo a mesma coisa,
A realidade tem o livre arbítrio e respeita a lei de cada particularidade.  
  
Nunes 






Ao meu redor




Ao meu redor

As coisas estão se desfazendo ao meu redor,
É o tempo...
Ele que nem se quer existe,
O que chamamos de tempo é um processo de vida e morte,
Dia e noite...
É a realidade...
Ela que também nem se quer existe.
Chamamos de realidade a nossa capacidade atrofiada de ver as coisas,
Porém nada é como parece ser,
Logo, não é a realidade.

A rua de minha casa 
É a mesma rua quando subo e quando desço, 
Porém,  quando estou indo vejo a rua de um jeito,
Quando volto vejo a rua de outro jeito,
É a mesma rua! 
Mas sou incapaz de ver toda a sua realidade.

A realidade é uma massa atômica e quântica,
Feito um grande bolo em processo de fermentação e expansão...
Porém existe a realidade de cada átomo
Dentro desse processo de fermentação e expansão,
E que também tem os seus processos, é um eterno dentro do dentro...

A dualidade é dual até mesmo dentro de um dos lados,
Semelhante a morte que é um bem e um mal em si mesma,
São os aspectos dentro e duais da morte, 
Ela que é que faz dualidade e oposição com a vida.

As coisas  estão se desfazendo ao meu redor,
Porém eu posso ter noção de permanência em mim mesmo.
Quando faço pelo reconhecimento do OUTRO,
Dirão que sou vaidoso e orgulhoso...
Quando eu faço centrado em mim mesmo,
Quando reconheço que somente eu posso me fazer por dentro e por fora,
Dirão que sou egoísta... porém o que faço por mim vai muito além
Da visão moderna, materialista e narcisista
Que se afoga na própria beleza.

A visão de permanência em espirito só pode se dar em si mesmo,
Pelo olhos do outro tudo que posso é efêmero.
O outro e as coisas se dissolvem diante de meus olhos,
Eu dissolvo aos olhos do outro, no entanto a consciência de permanência
No espirito só pode se dar internamente e comigo mesmo.

Tenho um Sol interior iluminando meu caminho interior,
Eu sou ele, ele sou eu...estou nele e ele está em mim...
Estamos em comunhão e vivemos um dentro do outro. 
As vezes eu me confundo com ele.

Nunes 

Publicações

Marcadores