Pesquisar este blog

COMPARTILHAR

Vênus é forma e valores

 






Vênus é forma e valores

Vênus é forma e valores,

o que temos são conceitos

formulados sobre as coisas

e a esses conceitos damos o nome  de nós mesmos.


Quando nos separamos dos  pensamentos

não resta mais nada além dessa forma física,

porém onde estão os valores

em um mundo sem conceitos.


Então descobrimos na forma 

os valores da anatomia da alma,

e o amor é materializado 

na matéria tridimensional 

e na matéria do espírito 

além do tempo e do espaço.


Vênus é forma e valores

que são formulados no amor 

e na vibração do som do silêncio.

A Mãe de Deus  está no  fim dos conceitos 

Nunes 

De que lado você está?

 A coletividade funciona

no particular e no individual de cada grupo 

e dos sujeitos dentro desse grupo.

O coletivo atende a um determinado grupo,

e a esse atendimento personalizado damos o nome de democracia

que funciona segundo as nossas ideais e interesses. 


Quem não aceita a democracia, segundo a visão do nosso grupo,

é um antidemocrático. 

Nessa lógica o que consideramos o mal

pode ser o bem que favorece alguém. 


Isso ser bom ou mau no mundo da dualidade 

e dos conceitos relativistas,

depende muito de que lado você está. 

Nunes 

A anatomia espiritual do homem.

 



A anatomia espiritual do homem. 

Todas as ideias que não levam em conta

a espiritualidade do homem caem 

no relativismo e no dualismo das ideias,

isso porque levam em conta apenas os interesses 

de um determinado grupo, e portanto, 

é preciso subjugar os valores de todos os outros grupos.

O homem não encontra a paz porque se move

nas engrenagens da dualidade que faz a história do homem. 

A espiritualidade do homem não é religião,

é a dimensão e a anatomia espiritual do homem. 

O terceiro nível de imparcialidade,

a espiritualidade universal do homem,

leva nos ao distanciamento de onde podemos ver

as dualidades dos conceitos e a eterna guerra entre os homens.

Quando avançamos pelo caminho da unidade

chegamos ao ponto de encontro de toda a humanidade

e a anatomia espiritual do homem.

Nunes 


Fiado Moderno

 



Fiado Moderno

O Brasil vinha muito bem vendendo
Fiado no Cartão de Crédito,
Mas o comércio que não vê mais o “dinheiro vivo” na mão
E o governo que inventou a ilusão de progresso e inclusão social
Com essas compras de eletroeletrônicos no cartão,
Tem que ignorar a inadimplência do fiado moderno,
Para não ter que confessar a ilusão de progresso e inclusão 
pautadas em bens de consumo fabricado por mão de obra barato
do outro lado do mundo..  .

Octávio Guerra
J.Nunez

2014 

Rodas de Ezequiel

 


Rodas de Ezequiel

O que chamamos de revolução
Não passa de uma grande mecânica da vida,
Uma gigantesca engrenagem de ilusão,
Rodas do Samsara,
Rodas de Ezequiel.

O que chamamos de revolução sexual
Não passa de uma cansativa espiral
Em descenso até o centro do inferno,
A prisão dos vícios.

A verdade tem apenas uma fonte,
E tudo nasce dessa mesma fonte
E se perde feito água
Em um terreno pantanoso.

Assim explica os pontos
Onde as religiões e as culturas se encontram.  

J.Nunes

O Filocalista

 



O Filocalista 

O lenhador acorda as cinco e meia da manhã

faz sua oração matutina, 

toma seu café reforçado,

pega o caminho para o trabalho as seis horas.

O lenhador é um filocalista e não se deixa esquecer de Deus 

por muito tempo durante as horas.

O lenhador faz uma sesta embaixo de uma árvore. 

O lenhador volta para casa as 5 horas da tarde,

o lenhador tem esposa e filhos.

O lenhador, depois da janta, conversa com a família

e os amigos na vizinhança.

 O lenhador vai para cama as nove e meia.

O lenhador é um filocalista e adormece o corpo

e desperta a alma na lembrança de Deus.

Aprendi com o lenhador que divide a vida 

entre a pragmatismo do trabalho

e com o pragmatismo da oração filocalista.

Nunes 

A paisagem mudou...

 


A paisagem mudou...


Andei a metade do caminho

e não percebi a paisagem.

Fiz tudo, me preocupei com questões 

que não dependia apenas de mim,

me preocupei com situações  

em que nada posso fazer a respeito

e o que penso sobre elas é irrelevante.


Enquanto andava pela Alameda do Chorão 

percebi que eu deveria, desse momento em diante,

preocupar apenas com o que depende apenas de mim,

e com situações que eu possa realmente alterar.

Meu corpo e minha mente 

estão entre as coisas que tenho o poder de alterar.

A paisagem mudou...


Me preocupei com situações que não depende apenas de mim

e abandonei questões que depende apenas de mim.

Aprendi que tenho um poder que ninguém tem sobre algumas situações

porque só dependem de mim mesmo.

É por esse caminho que eu comecei uma nova caminhada. 

Nunes 


Cresça em irrelevância

Agradeça a Deus 
pelo minha irrelevância,
agradeça a sua insignificância 
diante de homens,
agradeça sua fraqueza, 
o fato de ser pequeno e humilde,
agradeça, sobre tudo, a providência divina
que sempre estende as mãos aos pequeninos.

Cresça em irrelevância 
e insignificância diante dos homens,
e se coloque nas mãos de Deus.

Nunes 



 

O caminho não importa

  A montanha, a estrada e a floresta

são caminhos difíceis,

porém não importa a dificuldade,

o que importa é o que está em mim,

e que vou desfazer no caminho

e como eu me sinto ao deixar as bagagens

e como eu me sinto por dentro

enquanto caminho.

O caminho é difícil,

porém isso não importa,

ou importa muito com isso me afeta. 

Não importa o que os outros pesam de minha pessoa,

o que importa é como eu ouço, e como eu reajo

diante desse caminho e diante do outro. 

Nunes 

Uma Janela Aberta para o Universo

 




Uma Janela Aberta para o Universo

A minha real importância

é estar no mundo ocupando e desocupando espaço, 

feito um objeto colocado na água

que expande o espaço ocupado,

assim eu existo expandindo o espaço,

e movendo o espaço...

O tempo é espaço,

a matéria  é o tempo e o espaço.

O universo se expande e se comprime

com a matéria ocupando e desocupando o espaço.


Meu peito expande e se comprime feito 

o universo que respira, enquanto respira se expande 

e se comprime com a matéria ocupando e desocupando espaço.

O peixe na água faz parte da grande massa

que ocupa espaço, o peixe expande e move o espaço

enquanto se move o espaço deixado e preenchido por água,

eu também existo e me movo completando e expandindo o espaço.


Quando eu me movo, ou quando eu deixar de existir

ainda existirá espaço, porém ocupado por outra matéria. 

Não será o meu espaço e tempo, esse se move e morrerá comigo;

nascerá outro tempo e outro espaço 

dentro dessa matéria que ocupa espaço.  


Não sou essa ideia sobre as coisas,

não sou o conceito sobre as coisas,

sou apenas um corpo ocupando e desocupando espaço,

sou apenas um corpo, aparentemente, imóvel 

ocupando espaço, existo porque ocupo tempo e espaço.

Comprovo que o tempo é matéria e que não existe espaço vazio 

porque eu ocupo espaço e tempo.

A consciência de que existo e ocupo espaço,

a consciência de que não tenho qualquer importância no mundo

porque sou apenas matéria no espaço

e os conceitos não são meus, e que a consciência 

é uma janela que se abre para o universo

que se expande  e se comprime feito um peito que respira.


Eu sou apenas um corpo ocupando espaço, 

e a consciência é uma janela aberta para o universo.

O espaço deixado pelo silêncio de não ter conceitos

foi completado pela consciência de existir 

sem conceitos nesse espaço, nesse tempo e nessa matéria .


O silencio de existir sem conceitos abre

a janela do universo, não sou a janela do universo

sou apenas alguém debruçado sobre a grande janela do universo

que pulsa, comprime, expande, vibra, respira 

e é  a própria existência do tempo do espaço que é matéria.

 

Exito sem qualquer importância, e a consciência de existir 

sem qualquer importância, faz o caminho inverso

e sintetiza, condensa e unifica minha existência

em um corpo que existe e ocupa espaço 

e ganha consciência nessa ausência de conceitos

que abre uma janela para o universo

onde me debruço apaixonado pelo tudo.


Os conceitos e a nossa ilusão de importância no mundo

nos levam para muito longe de nós mesmos,

sonhamos ser tão significantes, porém de modo errado e equivocado,

Não tenho influência nenhuma no mundo,

minha influencia se limita ao espaço que ocupo e ao meu entorno,

quanto mais tenho consciência de minha insignificância

e de meu corpo ocupando espaço e minha mente vazia de conceitos,

mais significante torna para mim 

essa janela da consciência aberta para o universo.


Não sou os conceitos, posso até ser o som, mas não sou os conceitos,

as ideias que tenho sobre as coisas não sou eu,

sou apenas um corpo que ocupa espaço e debruça na janela do universo...    


Quando mais condensado mais espaço ocupado

por coisas que não vejo,

quando mais expandido mais espaço ocupado 

por coisa que também não vejo. 

E assim o universo vibra, expande e respira..  

Nunes   

       

 


A Dimensão da consciência

 


A Dimensão da Consciência 

O que digo que  sei são conceitos

que aprendi sobre as coisas, 

e que veio de fora de mim, 

porém, podem ser ideias equivocadas,

mas de todo modo podem não ser verdades ou mentiras,

podem ser  apenas diferente do que foi estabelecido por uma convenção, 

como uma verdade dentro de um grupo ou de uma estrutura. 


Alguns conceitos posso até tomar como verdade absoluto,

e de fato ser uma verdade imutável. 

Aprendo porque estou no mundo de símbolos e conceitos exteriores a mim,

aprendo porque estou  intelectualmente apto a aprender. 


Depois que aprendo os conceitos do mundo 

entro em conflito com o mundo estruturado por convenções...,

então descubro que há outro mundo 

além das convenções, dos conceitos e dos símbolos;

uma dimensão de consciência

que antecede e transcende a minha própria existência no mundo. 

Nunes 




Nessa microgênese


Nessa microgênese 


Semelhante a qualquer um que pertence a filogênese

de minha espécie, andaria por essas ruas,

porém, nem todos podem descer ao Beco do Fura Olho.

Ando manco, porque em um dado momento

da vida ganhei esse capengar para a esquerda,

isso me dificultou a vida nessa ontogênese individual.

Não posso  ser modelo de moda, por exemplo,

esse andar capengando para a direita não é muito sexy.   

 A minha vida poderia ter sido mais fácil,

ou menos divertida e permissiva,

Não nasci nesses becos, meu futuro, minha sociogênese 

não me reservava esse vida desregrada,

mas essa alma de filósofo de boteco

me levou para essa sociogênese.

Esse determinismo biológico e cultural  

de estar aqui por força do destino,

ou pelo fato de eu ser mesmo um vagabundo bem nascido;

tem a particularidade, ainda existe aquela particularidade,

por quem eu bebo toda noite, 

e quem eu penso enquanto fumo esse cigarro,

por ela me afogo dessas paixões e desejos de gente permissiva

nessa microgênese suicida.

Estou deixando o Beco do Furo Olho 

pela via da oração que me ensinaram

de livrinho que veio como um verdade

saída de um comércio de livro usados.  

Nunes 



Vênus no signo gêmeos

 



Leviano

Moro nessas ruas perigosas 

de gentes permissivas e levianas,

é tão fácil ser permissivo e leviano

e entregar os pontos sem ao menos lutar...
 

Repleto de mim, me basto e ainda sobro.

por isso preciso de você, mas não te quero muito,

também não me queira muito...

quero só que você me queira também.

não tenho motivos para não ser leviano e permissivo,

não sou tão significativo para ser ter que alimentar

uma moral um pouco mais rígida, 

não sou exemplo para ninguém 

e muito menos autoridade moral,

porém tenho autonomia para pensar, andar 

e aprender sobre o que me toca minha alma,

por isso tenho aprendido mistica e astrologia,

por isso eu sei que é tudo culpa dessa Vênus no signo gêmeos.  


Depois que a claridade acender entre as molduras da janela,

não precisa mais me querer,

passei da idade de sofrer por amor, aprendi com o tempo a extrair

dos sentimentos apenas o que me satisfaz,

assim faz a abelha com a flor.


Quero só que me queira também, o coração é tão vasto...,

eu sou tão leviano... E os sentimentos não têm direções.

não estranhe se eu não sentir ciúme e não falar de amor,

é que isso é para os majestosos cisnes brancos,

é que estes sentimentos são caprichos,

para gente igual eu e você, que apenas sobrevivem...

Arranque de mim o que deseja, mas não precisa pressa...,

ainda me resta dentro do peito um coração amigo,

e meia garrafa de vinho na estante; 

depois você pode chorar antigos amores,

contar-me segredos e lamentar seus fracassos...


É certo que não ouvirei uma palavra, por isso não terei conselhos para lhe dar.

nunca escutei conselhos, caminhei para a fossa sozinho...

mas deixarei que você sangre como um passarinho sacrificado no altar,

porque sangrar rir e chorar alivia à alma...

quando amanhecer, podemos caminhar na praia...

felizes por não sermos nada.

Hermínio Vasconcelos
J.Nunes


As características da sociedade contemporânea na Era da Informação


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012



As Características da Sociedade Contemporânea

Não digo que essas são as características da sociedade Pós-Moderna,
mas que são características da sociedade contemporânea,
ou sociedade do prazer na Era da Informação e virtualização do mundo.

 A sociedade contemporânea está sendo caracterizada
por muitas teorizações, direitos, nivelamentos, liberdades e tagarelices
que destroem a autoridade, a ordem, a responsabilidade,
os parâmetros, a disciplina e a hierarquia...

A sociedade contemporânea é marcada por consumismos;
os prazeres, os vícios, sexo fácil e casual,
as inclusões, as diversidades, a globalização, a virtualidade do mundo,
as explorações dos meios de produção e de recursos,  
as criações de mercados, a comercialização de tudo, as conotações sexuais,
os acessos as muitas culturas e informações;
sem vivenciar ou praticar qualquer cultura;
prevalecendo a cultura globalizada do consumo
e a virtualização do mundo e da vida humana;
são as marcas desse tempo contemporâneo.

A sociedade contemporânea é marcada ainda pelos vícios nas tecnologias,
nos sons e imagens em movimento, 
essa a falta que sentimos da poluição sonora e visual, 
insuportáveis para nossos cérebros,
apesar de acostumados ao caos das imagens e dos ruídos,
e a esses emaranhados de informações impossíveis
de serem capitados por nossos cérebros
que precisam de silêncio e serenidade para encontrar
a consciência de si mesmo e o caminho do equilíbrio.

A vida está sendo engolida pelo mundo das imagens e dos sons,
estamos vivendo dentro de um mundo virtual que é a ilusão da ilusão,
estamos deixando o mundo real e perdendo totalmente
a consciência de nossa existência e de nós mesmo dentro de um mundo
que é feito a partir da ilusão da ilusão que temos da vida.

O mundo virtual e do consumo se tornou a nossa vida conceitual, 
nossa representação de uma vida conceitual que nada tem de concreto.
estamos tão engolidos pelos mundo da representação
que perdemos o contato com a realidade concreta. 

Octávio Guerra
J.Nunes



José Nunes Pereira, poeta criador do estudo e da poesia Imparcialista para retratar
 e revelar o novo contexto para o homem contemporâneo.

Do outro lado da rua





Do outro lado da rua 

É dessa janela que olho a vida passando,

escrevo e não me importo com nada...

só não posso ignorar que a minha vida está passando

enquanto olho por essa janela sem perspectivas...


Um cachorro mija no poste,

sei que é um cachorro porque levantou a perna e mijou no posta. 

Na esquina um protesto por direito e justiça sexual.

 A mulher pode ser uma imitação, 

uma tentativa de ser homem,

o homem pode ser uma imitação, 

uma tentativa de ser mulher,

porém o homem não pode afirmar, 

tenazmente, que é homem e heterossexual 

e a mulher também não pode afirmar, 

tenazmente, que é mulher e heterossexual, 

no entanto,  podem se afirmar como bissexuais.  


Por mim tudo bem! Não dou a mínima

é só um observação de quem bebe uma cerveja,

fuma o cigarro enquanto olha para o outro lado da rua.


Não estou bêbado o suficiente para ver o poste mijando no cachorro.  

Como diria meu pai: 

"Que se dane,  ninguém vai levar um pacote de arroz lá em casa."

"Não mexe comigo que não mexo com ninguém",

mas o desgraçado foi mijar atrás do meu carro!...   

Nunes 

Providencial


 Providencial 

Tudo é providencial,

tudo se coloca como providencial.

Nada de fato é providencial.


A vida moderna com seus aparatos tecnológicos

e seus excessos de informação 

e liberdades exacerbadas se mostram como providenciais.

Tudo se coloca de modo providencial

para perdermos tempo com coisas furtivas que se faz de sérias.

Nada é providencial;

ser forte é providencial,

estar sempre pronto e disposto e providencial,

estar armado, manter a chama acessa é providencial,

estar em forma é providencial,

a fé, o otimismo são providenciais.

providencial é a atitude consciente diante da vida e dos fatos.

A atitude consciente é mais importante que os fatos e a própria vida,

isso porque a consciência transcende  a vida e os fatos;

transcende até a morte. 

Nunes 

  


É sempre uma Torre de Babel.


Todos podem dizer o que pensam,

não direi nada, até mesmo porque vejo por outra perspectiva,

estou fora do jogo, estou fora da briga. 


Todos por aqui é moralista ou permissivo quando convém.

É sempre uma Torre de Babel

esse discurso de moralista depois que é vergonhoso

e criminoso defender a permissividade e a liberdade exacerbada.


O crime sempre compensa, ou nem mesmo é crime em um dado momento,

até que a permissividade leva a insanidade,

estão salvamos nossa pele condenando os permissivos 

com o bom e velho moralismo, com a ética e os bons costumes.  


Para dizer que somos poderosos e livres

somos contra a tradição, a moral e os bons costumes,

mas quando a liberdade e a permissividade exacerbada

se transforma em crime,

estão a hipocrisia nos leva a refugiar na moral e nos bons costumes

e nos tornamos, aos olhos dos outros, guardiões da dignidade e da moral.


Quem quer olhar a casca que olhe a casca!

Eu quero desbravar e ver e as estranhas, 

o cerne da estupidez e inconsciência humana.


Para dizer, ou parecer inteligentes e evoluídos

afrontamos, protestamos contra tudo que a intelectualidade materialista

diz que é ignorância e reprocesso,

no entanto, nossa soberba se desmorona diante da realidade da morte,

da desilusão e do desespero diante a vida.  

É sempre uma Torre de Babel. 

Nunes  

 

Vou desse jeito...




 Vou desse jeito... 

A todo tempo sou um homem qualquer,

me envolvo em conversas sem fundamentos

e conflitos de ideias que se contrapõem e no fundo nada dizem;

tenho pecados mortais que me fazem sentir vivo enquanto me matam,

tem sonhos que dizem mais o que sou 

do que essa vida a luz do Sol e das lâmpadas dos postes 

dessas ruas onde se vê de tudo...


O que me faz digno por alguns instantes

e vivo no espírito e na esperança da salvação da alma

é essa breve lembrança de Deus,

essa breve súplica pelo meu Salvador Jesus

e esses momentos na vida em que sinto o coração contrito

e me lembro de Deus e da bíblia ali na cabeceira da cama.


Aprendi que devo ir para Deus com o que sou

e do jeito que estou; 

Essas mentiras de aparências 

posso contar a quaisquer um nas festas ou nas ruas...


Muito dos meus erros na vida

nasceram disso que todo mundo diz que é amor,

esse suposto amor que me deixou literalmente na sarjeta,

se transformou em garrafas, 

em alguns noites volta a ser mulher vem infernizar meus sonhos,

mas habituei à lembrança de Deus,

e essa recordação do supremo bem

tem me salvado dos laços do pecado

e dos laços dos meus inimigos,

 na vida e abaixo da luz do Sol ou dessas lâmpadas de ruas.

Nunes 

   

  

Esquecidos

Olho a vida do mesmo modo que olho esse rio que corre...



Olho a vida do mesmo modo que olho esse rio que corre...

Não pense que sou frio e antissocial;  

a astróloga disse que é por conta 

desse Sol na casa XII do meu mapa astral

e aquele Saturno ali na casa III


Não nego que prefiro silêncio e solidão a palavras ocas,

o silêncio e a solidão é para mim o que é a água para o peixe,

o que é as alturas para os pássaros. 


Não me peça para falar,

te peço que me deixe por um dia,

por umas horas em silêncio e solidão.


Fique comigo em silêncio e solidão;

porque tenho que conceituar, guerrear com palavras

que são apenas duais;

não há verdade nem uma nisso ou naquilo, 

é só o que pensamos sobre as coisas...


Porque tenho que olhar dessa perspectiva,

há  outras perspectivas;

 na verdade não quero olhar de perspectiva  nem uma,

quero apenas olhar a paisagem e ficar em silêncio

e ver além do que se vê

 e além do que dizem ser a realidade,

moldurado ao nosso gosto.  


Olho a vida do mesmo modo 

que olho esse rio que corre

e ignora que existo e observo 

o que sua correnteza arrasta. 

Nunes 


 

Poesias e textos em áudio - Nunes




YOUTUBE: POESIAS E TEXTO EM ÁUDIO.

Nunes Poeta 

Poesias religiosas, espiritualistas e místicas  

 https://www.youtube.com/channel/UCWHpsnhLAXbmpr4pvPeWQIQ



Uma Árvore Solitária na Pastagem.

Poema Meu Espírito é Agua

Tenho um poema para escrever

 Eu tenho um poema para escrever,

mas ainda não posso escrevê-lo,

me falta palavras, me falta compreensão e profundidade

sobre o poema que pretendo escrever.


Eu tenho um poema para escrever,

mas ainda não o compreendi integralmente,

porém sinto que será um poema divisor 

entre o que serei e o que sou agora.


Eu tenho um poema para escrever,

mas sinto que será difícil de dizê-lo

porque ele será a morte de tudo 

que embalou meu sono e meu sonho,

no entanto, no fim ele será dócil e carinho

como a noite sobre corpos cansados.


Eu tenho um poema para escrever,

mas somente os fadigados e desiludido  de viver

o grande esforço em vão é que compreenderão.


Tenho um poema para escrever,

um poema doce como a morte

sobre corpos cansados de lutar pela vida. 


Nunes 

Meu espírito é água





Meu espírito é água 


Se a vida é fogo!

meu espírito é água.

Se a vida é terra

meu espírito é água.

Se a vida é ar

meu espírito é água...


A vida que é fogo

pode até me açoitar furiosa, 

porém  meu espírito que é água

sobressai sobre todos os outros elementos,

por fim, assimilarei com meu espírito que é água,

a terra,  o fogo e o ar:

a  essência da criação de Deus. 

Nunes  

   

Não é só um poema...

Não é só um poema,

sou morrendo,

sou sangrando,

sou vivendo,

sou eu nas profundezas do ser. 


Não é só um poema, 

é a força do mistério e do segredo 

que brilha para essa treva,

eu vivo onde poucos podem subir ou descer.

Não sou condenado, sou labirinto

sou o que de arrasta para os infernos

e o que de regata para os céus;

sou o poema...


Um café, um silêncio doce

um poema para evacuar 

o inferno da alma

e sentir se vazio...

e cheio de amor místico.


Talvez para quem lê seja só um poema...

ou palavra vazia,

mas é muito mais que isso,

é concreto;

sou eu dissolvendo pelo caminho entre o inferno e o céu...

Nunes 

 


Um longo caminho até o fim do dia


Um longo caminho até o fim do dia

 Um longo caminho até o fim do dia,

o que ocorrerá no caminho

e a paisagem ao longo da estrada

são por mim desconhecida.


Um longo caminho até um lugar qualquer,

olho para a paisagem que meus olhos e ouvidos alcançam,

além do que posso ver, ouvir e sentir,

além dessa paisagem visível,

tudo me é desconhecido...


Um longo caminho até um lugar qualquer,

sei que há uma montanha a minha frente,

a vejo ainda que distante. 

Estou me preparando para a escalada,

mas o que realmente importa nessa altura da estrada

é o que meus olhos podem ver na paisagem,

mais além disso, é só sonhos e miragem,

porém, estou perto da montanha é ela já faz parte da paisagem

que meu olhos alcançam.   


A noite se dá tão tranquila...

O caminho ao longo do dia ocorre tão incerto,

porém, sei que devo caminhar 

e olhar apenas a paisagem que meus olhos alcançam.


Eu me levo aqui dentro do coração,

eu moro aqui dentro da alma

e olhar a paisagem imediata 

é o que me faz viver tão próximo do que sou

e longe do que virá ao fim do dia. 

Nunes 


Ideologia do centro

 


Ideologia do Centro 

Um dos homens mais ricos do mundo disse que 

a justiça social nasce da igualdade...

Se ele perdesse 99,9% de suas riquezas 

ainda seria muito mais rico que eu;

melhor, menos pobre que eu...

Deixo claro que não tenho problema nenhum 

com isso de ser pobre...


Os puritanos da ideologia, 

os defensores da ideologia com pedigree

não gostam desses globalistas, ou pelo menos não tem menor sentido gostar deles

que são uma espécie de capitalistas socialistas,

uma espécie que vende até as ideias do socialismo

porque são capazes de compreender

que se mais indivíduos são inseridas na sociedade de consumo,

mais eles, capitalistas socialistas por conveniência, serão ricos.

Ele falou nas entrelinhas de uma divisão de riqueza de modo controlado, 

o suficiente para criar público e mercado consumidor.

Eles são do Centro:  

capitalista quando convém e socialista quando convém,

essas são as lições da China capitalista socialista

que os puritanos e os das ideologias com pedigree 

pensam que é impossível esse cruzamento.   

Isso lembra muito a libertação dos escravos

para a criação do mercado e do público consumidor. 

Nunes


Amigo de um Rei

→ Jesus Cristo - Rei Dos Reis, Louvado Seja !


Amigo de um Rei

Meu Senhor Jesus Cristo, 

estar contigo e ser o seu amigo,

frequentar o seu palácio deslumbrante,

ajoelhar me diante do seu trono magnífico

sentar me diante a sua mesa farta,

desfrutar da riqueza de sua casa,

poder ouvir suas palavras,

caminhar pelos seus jardins floridos, 

dormir sobre a proteção de sua fortaleza,

não ter que me preocupar com o amanhã,

poder te rogar sem precisar 

pedir uma audiência contigo;

meu Senhor,  ser apenas o seu amigo

me faz o mais horado dos pequeninos de seu Reino,

me faz o mais mais  feliz dos homens. 

Eu não tenho nada a oferecer,

por isso eu te ofereço a minha gratidão

e toda a minha devoção por ti, 

meu  Rei e honrado amigo. 

Nunes 


Vida em Prosa e Versos

 A vida é um texto em prosa

que vai de uma ponta a outra,

numa ponta o nascimento

na outra ponta, inevitavelmente, a morte.


Viramos a página 

e a vida se dá novamente em prosa

de uma ponta a outra...


Porém a vida, tristemente,

também se dá em versos que nunca 

chegam a completar o espaço entre uma ponta e outra,

todavia na poesia a vida se dá intensamente. 

Nunes 

Superfície

 

Poeta Nunes








Na superfície da existência 

Nas folhas secas na praça esquecida

nos cantos claros a luz do dia,

e ainda claros com a luz da lua,

entre esses personagens pelas ruas,

nesses cantores de esquinas,

no pároco  da igrejinha de São Rufino,

nas ideias, nos conceitos nas crenças

tudo é olhado de  um jeito tão superficial

ou com tanta superficialidade

que não se percebe as coisa integralmente.


Há tanta necessidade de olhar a superfície

quando de olhar a profundidade das coisas...

Há tanta necessidade na superfície,

há tanta precisão no olhar sobre a superfície

quando há necessidade de olhar muito mais a fundo. 

Nem todos habitam na profundidade da vida,

é preciso saber estar ou subir a superfície da existência.

Temos tanta necessidade de ser profundos conhecedores das coisas

que ignoramos a superfície delas. 

Nunes 

Parâmetros conservadores



As ideias e os valores
são maiores que os homens.

Os homens passam,
os valores ficam. 

Os valores e as ideias transcendem
e são maiores até mesmo
que os nossos próprios conceitos,
ideias e valores pessoais. 

Nós guiamos por valores cristãos
e ideais que respeitam esse parâmetro.

Até mesmo no conservadorismo cristão
temos a superfície e profundidade.
O individuo, dentro desse parâmetro que nos guia,
está inserido de modo superficial e profunda.

Mesmo a superfície conservadora é necessária
para que a sociedade tenha parâmetro 
e não caia na insanidade social

Nunes

É tudo que se tem para fazer por aqui

 

POESIA

É tudo que se tem para fazer por aqui 


A razão pela qual ando por esse caminho

tem sentido em si mesma.

Semelhante a quem está em pé

porque não há lugar e nem espaço para se sentar.

Estou caminhando porque não tenho onde fazer pousada,

estou em silêncio porque não há nada para falar,

estou na chuva porque não tenho onde me esconder,

aceito de cabeça baixa 

porque não tenho força para levantar o meu olhar.

Eu fiquei porque não tenho para onde ir,

não voei porque não tenho onde pousar.

Caminho, mesmo sem propósito, porque é tudo

que se tem a fazer nesse deserto

onde a paisagem seca cansa o olhar

e põe agonia de morte  no coração.  

Continue caminhando até encontrar a morte

porque isso é tudo que se tem para fazer por aqui, 

e a morte não é uma miragem. 

Nunes 

Uma canção que não sei dançar

 


(Foto: Eneida Hoelz)


segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Uma canção que não sei dançar

Rua Saint Germain;
O frio da noite fez à cidade deserta,
Mas se a canção for um blues
E a neblina  apagar os faróis,
A noite será uma procura de desejos
Até que o dia apague as luzes da cidade.

Talvez você fique,

Talvez eu me deixe,
Um pouco mais em seu corpo
Ou talvez role apenas um papo filosófico,
Digo que gosto do Pessoa;
Ela diz que está lendo Baudelaire.

Apesar de meus hábitos noturnos,

Tenho sonhos empoeirados
E medos encobertos,
Mas se você sorrir,
Se olhar no espelho
E não tiver medo de luz de Sol,
Sou capaz de voltar a sonhar.

Nas ruas o vento sopra uma canção,

Que não sei dançar,
Mas se você sorrir,
Deixo a pista para quem não têm seu par
Se depois desta noite, você desaparecer,
Inventarei acasos para te ver,
Diminuirei meus passos para me alcançar,
Me dê a sua mão,  mas me deixe caminhar
Com meus próprios pés.

Hermínio Vasconcelos
J.Nunez

O Chamado

 

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Eu suportaria a solidão se não fosse a dois,

Se não houvesse o desencontro de alma,
O silêncio em minha voz,
Se não fosse entre essas paredes que me sufocam,
Se não fosse dentro dessas noites de torturas na alma,
Se não fosse na multidão que não me vê,
Na cidade que não adormece e me deixa só.

Ouso bater na porta de saída,
É o vento da chuva fina dos dias de verão.
Eu queria chorar até me sentir vazio de mim,
Mas desaprendi, depois de tanto tempo tentando a ser forte.

Eu suportaria a solidão se a cidade me acolhesse,
Se os amigos não fossem imaginários e os demônios tão reais,
Se eu não estivesse aqui sem alma,
Se eu não tivesse o medo de atravessar a fronteira
A caminho da solidão dos anacoretas.

Meu Deus!... porque me convidas para os teus silêncios,
Para tua montanha onde ruivas os lobos famintos,
Para seus precipícios que engolem universos,
Para teu oceano onde sou nada e desapareço,
Para a sua garganta, senhor das noites de angustia
Que agora me tritura com seus dentes.

Porque me convidas a deixar as multidões,
Porque me deste esse coração inconformado...
Eu sei, eu sei, você estará comigo,
Quando eu abandonar tudo e caminhar rumo aos teus silêncios.

Tenho os pés atados aos prazeres e a alma clamando por ti,
Porque deste a mim alma que não pertence aos homens,
O olhar para além de tudo que é ilusão
E a saudade de ti;
Como se nós nos conhecêssemos a milhões de anos.

Deus, meu Deus porque me chamas...
Porque suspiro tanto por ti...
Porque me arrastas para a grande tormenta na alma,
Senhor das minhas noites de penitências
Porque não aprendi a viver com os homens
Na cidade que adormece em paz,
Porque eu tenho que peregrinar pelas estradas cheias de ladrões,
Assassinos e todo tipo de malfeitores.
Porque tenho que caminhar
Rumo a mim mesmo por dias e noites infindáveis.
Porque não me deste a alma dos homens...

Porque estou tão distante de casa,
Porque eu quero tanto voltar para casa
Feito um cão que foi carregado para longe...
Senhor, tenho tanto medo da solidão das estradas,
Do perigo das montanhas, da correnteza das águas,
Dos desertos cobertos de caveiras,
Do frio das noites, e da claridade dos dias
Que me expõe aos perigos, dos atalhos e dos desvios
Que me faz perder o caminho que me leva para casa.

Senhor, eu tenho sede...

Jonas Correa Martins
J.Nunez

Um olhar e sempre muito mais que um olhar,

 Análise de um olhar displicente...


Todo olhar não é somente um olhar,

Num olhar vai o conteúdo de sermos nós...

Analiso meu “sorriso inocente”,

E seu “olhar displicente”

Se ela sorrir, sorrirá com a mente,

Se ela me olhar, olhará com o pensamento...

Se eu corresponder seu sorriso

Corresponderei com um sentimento.

Um olhar surge independente de conceitos,

Um olhar surge e desmonta ideias fixas e tabus,

Um amor suporta um olhar de traição,

Ma os conceito de amor cristão

Não podem suportar essa verdade.

Um olhar e sempre muito mais que um olhar,

Um olhar me faz humano, errante e pecador...

Um olhar me faz humano, sensível, amoroso e carismático...

Um olhar esconde muito ou revela tudo...

Um sorriso esconde muito ou revela tudo...

Eu sorri com o pensamento, a alma e os desejos...

Um olhar e um sorriso podem ser preliminares

Para os corpos que se desejam...

Tudo está ao pé dos precipícios ou escondem labirintos

Inclusive o seu olhar displicente e o meu sorriso inocente...

Murilo Santiago

J.Nunez