poeta Nunes

sábado, 9 de maio de 2020

Pão do Céu

O verdadeiro pão do céu - Diário Espiritual


Pão do Céu


O irmão Francisco esteve as portas
para pedir esmolas para seus irmãos em Cristo.
Eu estou a sua porta para pedir esmola por mim,
não me tome como um egoísta,
sou um miserável e não tenho nem mesmo para mim,
estou a sua porta para pedir o pão do céu,
o alimento para minha alma faminta de sabedoria.

Quem sou eu para querer alimentar meus irmãos,
sou muito pobre de virtudes, não tenho tem mesmo para mim,
mas se me deres um pouquinho do seu alimento para a alma,
se me deres um pouquinho a mais do seu alimento do céu,
eu entrego, humildemente, um pouco aos meus irmãos
que também estão famintos do alimento do céu
eles têm fome de amor, sabedoria e verdade.

Perdoe o meu egoismo quando guardei
só para mim o alimento que vem do céu,
perdoe ainda mais a minha vaidade e o meu orgulho
quando pensei ser a "luz do mundo"
quando peguei uma migalha caída de sua mesa farta

Reconheço que sou um miserável a sua porta
pedindo um pouquinho do seu alimento
que sustenta da alma e coloca
os homens de pé diante de sua presença.

Senhor, eu te peço que me dê
apenas segundo as minhas virtudes a sua vontade,
quero ser um humilde semeador
de sua graça de amor, sabedoria e verdade.

Nunes 




O Caçador da Noite


Passe uma noite no Castelo do Drácula - Medologia

O Caçador da Noite

A noite é tão escura quanto o dia
dentro dessa floresta,
dentro desses castelos
entre essas paredes.

Não sabemos nada sobre o tempo e as horas
a caçada é sem trégua,
o caçador é implacável,
dia e noite com um inimigo na mira.

O caçador não sabe se esses inimigos
espreitam nos vãos das paredes
nos cantos escuros,
nas cumeeiras, acima de sua cabeça,
atrás das portas embaixo dos móveis
ou se esses demônios vêm da floresta escura,
não importa,  as armas devem estar sempre
procurando um alvo, o caçador deve ser implacável
até que se faça a luz.

Da varanda vi o caçador na noite
vi quando ele adentrou na floresta escura
vi quando ele entrou no castelo tenebroso,
Ele passou por mim, me olhou enigmática.  

Já estou velho e sonhei um dia ser um desses caçadores da noite.

Nunes


sexta-feira, 8 de maio de 2020

O Discurso

La Boétie - o que é Servidão? • Razão Inadequada


O Discurso 

O discurso alimenta o discurso
que alimenta a esperança,
que alimenta a eterna busca 
por uma realidade que não se realiza.

Para manter a esperança de uma realização
sempre futura é preciso alimentar o discurso
que vive de discurso,
porém, quem faz o discurso deve saber
que é apenas discurso que alimenta o discurso
e o sonho de uma realização 
que nunca será completa.

Quando realizamos plenamente o discurso 
ele deixa de ser discurso e se torna realidade,
no entanto, a realização efetiva do discurso
transforma a realidade que destrói o discurso.

O Poder é exercido com a eterna alimentação
do discurso que alimenta  o discurso que alimenta
o sonho de uma realização do discurso.

O discurso alimenta o discurso
que alimenta a esperança, porém a realização
plena do discurso jamais deve ser realizada
ou incentivada pelos donos do discurso,
porque a realização plena de um discurso
eleva o praticante do discurso a um outro patamar,
e a um novo degrau que rompe 
com o discurso e coloca os praticantes 
em uma nova oitava de realização.

O discurso é produto e matéria prima
que se alimenta e se reproduz 
 de si mesmo e em si mesmo.

Para alimentar um grupo de pessoas
é preciso alimentar o discurso
com o discurso e a eterna promessa de realização futura,
porém, deve se  fazer barreira e dificuldades
para que nunca se realize a realidade prometida,
caso essa realidade seja alcançada
serão descartados os donos do discurso,
e a realidade alcançada exigirá aos donos dos discursos
novos discursos e novas promessas,
porém agora esse grupo será mais exigente e efetivo
em suas esperanças e realizações do discurso.

O discurso é alimentado com o discurso
tanto no intimo do indivíduo quanto em sociedade. 
As revoluções e as revoltas contra os discursos
 nascem da esperança que se cansa 
do discurso que nunca se realiza 

Nunes 


quarta-feira, 6 de maio de 2020

Desejo de comunhão com Deus

Mãos Mão Meditação - Foto gratuita no Pixabay


Desejo de comunhão com Deus 

A oração só existe na comunhão
e no silêncio dos pensamentos,
são incontáveis as vezes que encontramos
e perdemos o silêncio e a calma;
quanto desistirmos de agradar o mundo, 
encontramos a comunhão com Deus.

Não importa quantas vezes você se perdeu 
e se encontrou na tentativa 
de se adaptar ao mundo
e as circunstâncias da vida;
na curva dessa estrada 
encontraremos com a verdade 
e com tudo o que foi adaptações ao mundo. 
Então teremos que decidir por encontrar, 
definitivamente, 
com a vontade de  comunhão com Deus.

O pecado, o apego ao mundo 
faz da busca da oração, do silêncio 
e da comunhão com Deus 
um sacrifício de nossas vidas,
porém, quando encontramos a alegria 
da meditação e da comunhão com Deus
passamos a desejar profundamente,
a morte do pecado, o desapego ao mundo
para penetrarmos cada vez mais
na felicidade do Reino de Deus. 

Nunes 

terça-feira, 5 de maio de 2020

Tão Definido




Tão definido



Tão definido quanto a noite e o dia,
a teia e a aranha, 
não existe uma linha tênue
entre isso e aquilo,
o que há é um abismo.

Não existe uma indecisão 
entre isso e aquilo,
o que existe é um caminho 
sem concessões.

O que pode ocorrer 
entre isso e aquilo 
é o fato de pertencer a esse lado 
e precisar de tolerância  com  aquele lado;

Não há incertezas entre isso e aquilo,
o que há é uma necessidade de permanecer 
nessa politica de boa vizinhança com o mundo 
porque  há uma relativa dependência.

É certo que esse mundo imperfeito,
precisamos de tolerâncias e dualidade
para tudo que existe,
porém seria bom poder estar 
desse lado e simplesmente existir,
semelhante a um monge solitário,
sem antagonismos com a vida,
sem precisar de tolerâncias com as tolices. 

Talvez não há qualquer dependência
para quem atravessou a fronteira 
entre esse e aquele lado.

Um caminho de unidade
é tão efetivo e claro,
é tão definido quanto 
o que é chão e o que é ar,
onde é areia e onde é mar, 
até onde é a planície 
e onde começa  a montanha.     

Nunes  

 


Publicações

Marcadores